Retornando

Depois de oito anos, onde viajei por diversos países, morei em Istanbul por uma ano e finalmente mudei para Londres, eu volto a escrever em português.

Minhas mudanças internas e externas foram acompanhadas por outra, decidi não mais produzir livros e textos em português. Essa decisão cresceu em minha mente depois de ter deixado o Brasil em 2010. Estava descontente com a sociedade, governo, e empresas brasileiras que se mostravam mais e mais afeitas a conchavos, corrupção, e baixa qualidade. Eu queria mais, queria poder expressar ideias e ver pessoas discutindo comigo essas mesmas ideias sem medos, preconceitos ou insultos.

Durante esse tempo em Londres, escrevi um livro de poesias, outro de fotografias. Comecei a pintar e traduzir meus dois livros Asif e Luzes da Turquia para o. Inglês. Agora, mais madura, decidi que era hora não apenas de traduzir esses livros, mas reescrevê-los; pois analisando friamente, eles eram muito imaturos, pouco profissionais. Criei coragem e estou quase terminando o trabalho. Levou anos, anos para que eu começasse a dominar o idioma, anos para que a coragem de enfrentar um novo tipo de plateia e critica tomasse forma. Agora aqui estou, quase lançando meu primeiro livro em inglês – uma novela chamada Beatriz (foi no que se transformou Asif) – e em breve seguira um outro livro, este de aventuras e experiências em um país que vive na imaginação de muitas pessoas – Other Turkey, Other Me (em Português, Luzes da Turquia). Refinei este trabalho, onde mesclei muito do que vivi com o que aprendi. Sangue, suor, lágrimas e admiração.

Voltei, posso dizer. Fiz as pazes com o país onde passei quatro décadas de minha vida. As dores que meu crescimento pessoal trouxeram são apenas ecos, ainda luto contra minha eterna busca por perfeição, ainda enfrento os medos da loucura criativa, da solidão imposta. Mas volto com este blog para conversar em um idioma que começo a esquecer, quero resgata=lo. O Português faz parte de meu passado, como o inglês e o espanhol tem feito parte de meu presente. O futuro? Parece que o futuro irá trazer novas surpresas. Assim, espero.

Beijos,

Herleny